Mário Fernandez

Ansiedade – Vivendo o Evangelho

“Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” (Mateus 6:34 ACF)

Nessa nossa geração apressada do século XXI o que tem aos montes é gente ansiosa. Eu já escrevi anteriormente sobre a tensão entre o otimismo e o pessimismo, nas suas relações com a fé. Quero meditar sobre esperar sem perder a esperança.

Todas as definições, artigos e dicionários que pesquisei descreveram ansiedade usando palavras como medo, antecipação, agonia, dor na alma e, em alguns casos, foi descrito como doença. Andar inquieto vai contra confiar em Deus, pois Ele cuida de tudo e prometeu cuidar de tudo.

Ansiedade nada mais é do que perder a esperança e a fé. Posso provar esta afirmação. Enquanto temos esperança estamos tranquilos, pois confiamos naquilo que virá, embora para alguns 10 minutos em uma fila seja uma espera torturante. Mas na fila do banco, com o cartão na mão, tendo total certeza que o dinheiro está na conta e basta chegar sua vez para sacar – tudo bem. Isso é esperança e a agonia da espera ou a inquietação da próxima tarefa não causam necessariamente ansiedade. Sem ter certeza do saldo, aí sim. Sem saber o que vai encontrar, aí sim. Ou seja, o que assusta não é a espera em si, mas o desconhecido à frente.

Agimos assim em todas as áreas da nossa vida. Temos a péssima fraqueza, de maneira geral, de comprometer a comemoração de uma vitória em detrimento da ansiedade da próxima batalha. Tenha fé meu irmão, olhe para ela com olhar de vencedor e creia na mão de Deus se movendo em seu favor. Encare a batalha e se for derrotado, como se diz na minha terra natal, “vai lamber as feridas”. Mas depois, não antes.

Ao confiarmos em Deus para cuidar de nossos problemas, desenvolvemos a fé que enxerga uma saída adiante e essa tira de nós o medo e a ansiedade. Eu viajo muito e ainda assim toda vez que vou para a estrada fico tenso. Tenho 30 anos de evangelho e sou pastor faz mais de 15, mas toda vez que vou pregar os joelhos tremem. Mas isso não é ansiedade, não é inquietação, não é falta de fé. É temor e zelo pelo que tem que ser feito. Me preocupa muito mais o sustento de minha familia se algo acontecer comigo do que tenho medo de morrer. Meu foco é ser fiel às Escrituras e dar o recado de Deus ao pregar, não é medo de passar vergonha.

O firme fundamento do que se espera nos alivia a tensão e permite viver um evangelho que define o estilo de nossa vida. Evangelho não é certeza de nada, é apenas uma boa notícia de salvação. Para quem não consegue confiar, dá na mesma. Para quem pretende viver com Jesus na eternidade, entende que semeia isso aqui e agora, isso é tudo que é preciso.

Controle sua ansiedade meu querido. Leia mais a Palavra de Deus, ore mais, vença a ociosidade, despolua sua mente (tv, internet, música de mau gosto), olhe para o alto e adore Aquele que vive para sempre. Sou testemunha viva: é quase egoísmo, pois a gente é que vive melhor sem ficar ansioso. Deus te abençoe.

“Senhor, eu quero ter fé e não andar ansioso. Me ensina a viver de tal modo que não Te envergonhe perdendo as esperanças e pensando no pior. Me ajuda a focar em Ti e vencer a ansiedade.“

4 thoughts on “Ansiedade – Vivendo o Evangelho

  1. Moisés Ferreira Jorge disse:

    Pr. Mário, quero agradecer por essa edificante mensagem. Tenho arrecadado em minha biblioteca mais de 500 mensagens desse saudável ministério ICHTUS, e com muita alegria a cada msg ter recebido esclarecimentos às deficiências em minha vida e poder direcioná-las a soluções edificantes. Ansiedade é uma grande pedra que colocamos em nossa caminhada, mas pelo amparo do SENHOR, das ferramentas que Ele nos fornece: oração, leitura e meditação na Palavra, testemunhos fiéis, podemos desbancar a ação desse tropeço em nossas vidas e a grande vitória será alcançada não dependendo daquilo que almejamos, mas da vontade de DEUS para nossa vida.

  2. disse:

    Muito bom e aliciante este seu excerto a cerca da ansiedade a qual traz intranquilidade ás pessoas que não conseguem saír desses laços perniciosos da preocupação e da incapacidade de confiar totalmente em Deus…

  3. Alexandre Miguel disse:

    Diante de tantas notícias tristes, ficamos ansiosos ! Mas, sem perder a fé, que Deus é bom o tempo todo!! Texto maravilhoso Pr Mário !!!! Glória à Deus!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *