Vinicios Torres

O Que o Masterchef Pode Nos Ensinar Sobre Amargura

“Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos;” (Hebreus 12:15)

Acabo de assistir a um episódio do programa Masterchef e uma coisa me chamou a atenção. Neste episódio um dos candidatos, avaliado como um potencial candidato ao título já nas primeiras provas, teve um bom desempenho na primeira prova, mas foi excluído pela vencedora para se livrar da prova de eliminação. Ela deliberadamente o deixou dizendo que ele era um forte candidato e a ameaçava.

O candidato em questão ficou visivelmente chateado e questionou o critério usado pela concorrente na escolha. Ficou evidente que aquela rejeição provocou uma amargura naquele candidato.

Resumo da história: nas duas provas de eliminação seguintes este candidato não conseguiu se sair bem, apresentando nas duas oportunidades um dos piores pratos, e acabou eliminado do programa. Um dos companheiros comentou que a sua raiva afetou o seu desempenho, pois “nós passamos nossos sentimentos para o prato que estamos fazendo”.

Este é um exemplo muito prático do que o autor de Hebreus fala nesta passagem: cuide que nenhuma raiz de amargura brote, pois se isso acontecer o resultado será “perturbação”.

Quando estamos perturbados por alguma coisa, ela nos rouba a atenção daquilo que deveria ser nosso foco. A perturbação da amargura rouba a energia, a tranquilidade e a paz necessária para realizar o melhor que podemos na vida. Alguém perturbado está desfocado, agitado, com a atenção dividida.

Essa perturbação pode se tornar maior ainda se temos influência ou exercemos liderança, pois ela pode ser transmitida a outros. Como diz o autor de Hebreus, podemos contaminar a muitos com a nossa perturbação e o prejuízo que causamos se estende a outras pessoas.

Motivos para ficar amargurados podem acontecer sem que estejamos esperando. Podemos ser rejeitados, sujeitos à injustiça, deixados de lado numa promoção que achávamos que tínhamos direito, induzidos ao erro, descobrir que alguém tem um conceito a nosso respeito menor do que pensávamos… a lista se estende praticamente ao infinito.

Para dominarmos a amargura temos que manter a consciência de que nosso valor vem de Deus, que a nossa vida e o nosso futuro estão nas mãos dEle e que tudo que nos acontece, acontece para o nosso bem (Romanos 8:28). Mesmo aquilo que parece não ser o melhor para nós, Deus pode usar para bênção. Sendo assim, aquelas coisas que poderiam nos provocar amargura, lançadas sobre Cristo (1 Pedro 5:7) tornam-se motivos de ação de Graças (1 Tessalonicenses 5:18), deixando de ser causa de perturbação e transformando-se em testemunho da fé em Deus.

No Masterchef, um candidato sucumbiu à amargura e perdeu seu direito de lutar por um prêmio terreno. No nosso caso, a amargura pode nos fazer perder um prêmio eterno.

“Senhor, ajuda-nos a estar alertas para não permitirmos que a amargura se instale em nosso coração, antes que sejamos submissos à Tua vontade e enfrentemos todas as lutas com fé em Ti.“

One thought on “O Que o Masterchef Pode Nos Ensinar Sobre Amargura

  1. Maria Rita Ferreira dos Santos disse:

    Este texto foi um presente de Deus e fez-me refletir sobre o que está acontecendo em minha vida profissional. É Graça e não perseguição.
    Obrigada pelo seu Ministério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *