Vinicios Torres

Insatisfação Midiática

“Sejam agradecidos a Deus em todas as ocasiões” (1 Tessalonicenses 5:17)

Às vezes a gente recebe sabedoria de lugares inusitados. Hoje recebi um e-mail do blogue do Set Godin, guru de marketing americano, que me fez pensar. Traduzi rapidamente para você aqui:

O motor do nosso descontentamento

“Quando a TV foi adotada pela primeira vez, foi um presente mágico. Os shows uniram nossa cultura e os anúncios alimentaram um boom consumidor aparentemente infinito.

Hoje, porém, os comerciantes transformaram a televisão em um instrumento de insatisfação. Os shows alienam a muitos, porque eles trazem um mundo idealizado e caro para as casas de pessoas que cada vez mais não podem pagar. E os anúncios relembram quase todos que suas vidas estão incompletas e infelizes – a menos que comprem o que está sendo oferecido. Pior, as notícias por TV paga são otimizadas para chocar, assustar e dividir as pessoas que a observam.

A mídia social pode amplificar todos esses ciclos descendentes. São 1000 vezes TV.

Daí uma classe média, milhões de pessoas que seriam tão ricas como reis em qualquer outro momento ou lugar, estão angustiadas e desapontadas e se sentem deixadas para trás. Vítimas de um regime de mídia onde elas são o usuário e o produto.

Toda vez que a TV e as mídias sociais consomem um tempo significativo em uma casa, o prazer aumenta e a felicidade diminui.

A solução é simples e difícil.

Podemos desligá-la.

Se não conseguir o que você precisa ou deseja, desligue-a por algumas horas.”

Este método do marketing moderno de te tornar insatisfeito com o que você é e com o que você tem colide frontalmente com o conselho bíblico.

O Novo Testamento fala mais de uma vez sobre a necessidade de aprender a estar satisfeitos com o que temos (1 Timóteo 6:6-8; Hebreus 13:5; Lucas 3:14).

A satisfação não anula o desejo de melhoria, ela equilibra o nosso coração para não cair na ganância. A satisfação ajuda-nos a usufruir plenamente o que temos para hoje enquanto trabalhamos pacientemente pelo melhor no futuro.

O insatisfeito e ganancioso está sempre olhando para o que tem e desprezando por desejar mais.

Quando nos tornamos condicionados por este descontentamento midiático, nada nos satisfará e dará prazer por muito tempo. O único prazer experimentado pelo insatisfeito é da conquista do bem/prazer desejado. Assim que a compra termina, o prazer termina, pois a insatisfação instalada no coração já faz ele começar a desejar outra coisa.

Essa insatisfação midiática não nos deixa reconhecer a provisão de Deus. Estamos sempre pedindo, mas não entendemos o que recebemos. Não nos tornamos gratos pela vida e provisão que Deus nos dá.

Quando eu era criança havia um segmento de evangélicos conhecido pelo extremismo de proibir a TV, pois dizia que ela era instrumento do diabo para nos desviar de Deus.

Começo a achar que eles tinham razão.

“Senhor, ajuda-nos a desligar-nos do que nos afasta de Ti e ensina-nos a estar satisfeitos com o que recebemos da tua mão.“

Vinicios Torres

Oração e Relacionamentos

“Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou. Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.” (João 13:14-17)

Uma das coisas que temos visto acontecer com muita intensidade na igreja de hoje é o uso dos relacionamentos apenas para atingir um determinado fim.

Antigamente (isso é, há uns poucos anos) éramos ensinados que somos servos de Jesus Cristo, o Senhor, e que deveríamos seguir o seu exemplo e servir ao nosso próximo em amor (João 15:12). Jesus disse que seríamos conhecidos como seus discípulos quando o mundo reconhecesse o amor com que nos amássemos uns aos outros (João 13:35).

Atualmente, somos tudo, de reis e príncipes a administradores e líderes, que temos que conquistar as pessoas para nos seguirem e fazerem parte da nossa “turma” (substitua turma pelo nome que você costuma ouvir). As pessoas devem ser convencidas a obedecerem o método que foi implantado na igreja independente de compreenderem o motivo pelo qual fazem o que fazem.

Não sou contra métodos. Ao contrário disso, estudo processos empresariais e sei a otimização e o aumento da eficiência que um método bem definido pode trazer a qualquer organização. O problema é quando o método substitui o relacionamento na igreja.

O método pode ajudar a encher a igreja. Mas o método não cura feridas, não satisfaz a solidão, não consola a tristeza, não muda o caráter. Essas coisas só acontecem com relacionamentos profundos e amorosos, que geralmente levarão bastante tempo para se consolidarem.

Junto com o relacionamento, a oração constante e consistente uns pelos outros trará a cura, o consolo e a mudança desejada diretamente do trono do Altíssimo.

Como tem sido a sua experiência de grupo na sua igreja? Tem sido de relacionamento vivo ou de processo mecânico? Você ora regularmente pelas pessoas com quem se relaciona em seu grupo?

Vinicios Torres

O Que Você Fala Para Si?

“Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei.” (Salmo 42:11)

Você já falou sozinho?

Há algum tempo, ao ler este salmo, percebi que o salmista estava falando consigo mesmo. Ou seja, nos termos atuais, falando sozinho.

Esta é uma ação que a maioria das pessoas considera estranha. Ela é muitas vezes associada às pessoas mentalmente desestabilizadas, principalmente aquelas que conversam com amigos imaginários que só elas veem.

Mas, examinando a maioria da população que pensa que é mentalmente saudável (como nós, por exemplo) chegamos a conclusão que todos falamos conosco mesmos de alguma maneira. A grande maioria o faz apenas mentalmente, sem emitir sons audíveis. Alguns o fazem o fazem em voz alta quando estão sozinhos.

Essas auto-conversas são muito importantes. Elas muitas vezes induzem um estado mental que pode nos animar ou destruir a nossa tranquilidade. Quantas vezes ao pensar sobre um problema você começa a enumerar para si mesmo uma relação de motivos porque tudo vai dar errado? Ou quando vai a uma entrevista de emprego fica dizendo a si mesmo as razões pelas quais você não vai conseguir o trabalho?

O apóstolo Tiago ensina em sua carta que a língua pode determinar a direção do corpo da mesma maneira que um pequeno leme pode determinar a direção de um grande navio. (Tiago 3:3-12) Aquilo que você diz a você mesmo pode levá-lo à vitória ou à derrota dependendo daquilo que você diz.

Davi estava passando por tempos difíceis e constatou que estava abatido pelos problemas. Situação comum a todos nós. A vida nos traz problemas e muitas vezes as energias, sejam físicas, mentais ou espirituais, podem se esgotar. É natural isso acontecer. Ele poderia simplesmente ter percebido isso e ficado sentado num canto da caverna dizendo a si mesmo: “Ó vida, ó azar. Pobre de mim. Prometido rei e acabado perseguido, que será de mim?”

Porém, o que ele disse para si? “Por que você está abatido? Qual o motivo de ficar assim? Afinal de contas, temos a promessa de Deus, então espera nEle, pois ainda haveremos de louvá-lo pelo cumprimento das suas promessas!”

Em vez de dar ouvidos às palavras negativas devido às circunstâncias ele passou a falar para si mesmo palavras de ânimo e incentivo, palavras que mudavam o seu estado emocional para melhor.

Ele não fazia isso sem base. A sua base eram as promessas da Palavra de Deus que haviam sido dadas a ele e sua experiência do cuidado constante de Deus na sua vida.

O profeta Jeremias, em suas lamentações, em determinado momento diz: “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança.” (Jeremias 3:21)

O que você anda dizendo para si mesmo? Qual é o conteúdo das suas auto-conversas?

Quero desafiá-lo a examinar essas conversas e passar a usá-las como ferramenta de edificação própria. Em tempos de dificuldades e tristezas, se necessário for, vá para a frente do espelho, olhe-se bem e diga para si mesmo:

“Por que você está assim? Espere em Deus, pois você ainda há de louvá-lo!“

Vinicios Torres

Foco nas Ações que Transformam

“Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus.” (Efésios 5:15)

Já fiz duas considerações inspiradas na citação de Charles Spurgeon abaixo:

“Por que alguns cristãos, apesar de ouvirem mil bons sermões, não têm avanço na vida espiritual? Porque eles negligenciam sua obrigação, seu quarto fechado, a solidão com Deus… eles não meditam no que ouviram. Eles “amam” o trigo, mas não moê-lo. Eles teriam o milho, mas eles não irão ao campo colhê-lo. O fruto está pendurado, mas eles não vão estender a mão. A água está fluindo em seus pés, mas eles não vão se inclinar para beber… Irão reclamar porque outros não fazem isso para eles… De tal loucura livrai-nos, ó Deus!”

– Charles Spurgeon

Hoje, gostaria de perguntar a você: quantas vezes já realizou tarefas ou se envolveu em programas sem ter um propósito claro e definido, um alvo a atingir? Quanto tempo já gastou fazendo coisas que depois você olhou para trás e se perguntou do que adiantou? Para que serviu?

O apóstolo Paulo diz nessa passagem que devemos “ver prudentemente como andamos”, ou seja, devemos ter sob controle o tempo gasto nas atividades de nossa vida, pois, como ele diz, “os tempos são maus”. Paulo estava falando da época em que vivia e ele tinha consciência de que deveria aproveitar todas as oportunidades e realizar o máximo possível, pois sabia que a qualquer momento poderia ser preso, ou morto, e ele não queria terminar a vida com a sensação de não ter realizado o que Deus lhe tinha proposto.

Pelas tom das suas cartas, Paulo transparecia a preocupação de realizar as atividades certas para atingir os melhores resultados. Ele tinha um foco claro, fazia o que sabia que o dirigiria para esse foco, delegava as tarefas para os companheiros de ministério e os orientava para que eles também alcançassem os objetivos propostos (vide especificamente as cartas a Timóteo e Tito, por exemplo).

, você seria capaz de parar e listar em um papel tudo o que fez na semana passada e avaliar o quanto cada uma das atividades que realizou contribuiu para levar você a algum dos alvos propostos para sua vida? Tem coragem de enfrentar a realidade de que boa parte do que faz não ajuda a ir a lugar nenhum?

Você pode sonhar, orar, chorar, pedir, gritar, estudar, ler, assistir televisão (ou vídeo na internet), ver a timeline infinita do Facebook e mais outras coisas, mas nada mudará na sua vida se você não decidir AGIR.

São as ações que você decidir realizar que levarão você na direção que deseja.

Cada ação criará um resultado que poderá agregar ou não ao seu objetivo. Decida pelas ações que ajudarão você a ir em frente e evite aquelas que não adicionam nada ou apenas fazem você “passar o tempo”. O mundo, e o sistema diabólico por trás dele, convencem as pessoas de que elas devem se sentar em frente a uma televisão (ou um computador/celular) e relaxar. O que ele está fazendo é amarrar milhões de vidas a uma existência medíocre, abaixo da real capacidade de realização do ser humano, por falta de ação focada em um objetivo de vida claro.

Você deve, sim, gastar tempo em oração e receber de Deus a inspiração para seu objetivo de vida. Uma vez recebida essa inspiração é sua responsabilidade escolher as ações corretas para torná-la realidade.

“Senhor, ajuda-nos a te ouvir tão claramente que não tenhamos dúvidas em escolher corretamente como usar o nosso tempo nas ações que transformarão nossas vidas e o mundo ao nosso redor.”

Vinicios Torres

13 Reasons Why, Baleia Azul e Depressão

Em outubro de 2015, escrevi sobre depressão. Recentemente, Little Hope falou em seu canal de vídeo a respeito devido ao crescimento do assunto devido a jogos de computador e séries de filmes.

O assunto deve ser tratado adequadamente pela Igreja. Vejo pouco sendo feito em nosso meio sobre esse assunto.

Se a sua igreja tem uma iniciativa a respeito comente conosco. Queremos ajudar a divulgar.

Enquanto isso, assista ao vídeo dela e repasse para para aqueles que você acha que precisam:

13 Reasons Why, Baleia Azul e Depressão

Vinicios Torres

Foco no Tempo que Transforma

“Por que alguns cristãos, apesar de ouvirem mil bons sermões, não têm avanço na vida espiritual? Porque eles negligenciam sua obrigação, seu quarto fechado, a solidão com Deus… eles não meditam no que ouviram. Eles “amam” o trigo, mas não moê-lo. Eles teriam o milho, mas eles não irão ao campo colhê-lo. O fruto está pendurado, mas eles não vão estender a mão. A água está fluindo em seus pés, mas eles não vão se inclinar para beber… Irão reclamar porque outros não fazem isso para eles… De tal loucura livrai-nos, ó Deus!”

– Charles Spurgeon

Segundo pesquisa “Futuro Digital em Foco Brasil 2015” (Digital Future Focus Brazil 2015), divulgada pela consultoria comScore os brasileiros são líderes no tempo gasto nas redes sociais, eles gastam em média 650 horas por mês em redes sociais.

Considere a comparação com as horas de trabalho: 40 horas por semana x 4 semanas = 160 horas de trabalho no mês. Ou seja, o brasileiro fica quase 4 vezes mais nas redes sociais do que trabalha.

Há algum tempo fizemos uma pesquisa no nosso site com os nossos assinantes e uma das perguntas era “Quanto tempo você gasta orando em casa ou particularmente (não contando o tempo na igreja ou nos cultos)?” A resposta foi que 40% gasta menos de 15 minutos por dia orando e outros 38% gasta menos de 30 minutos por dia. Isso representa menos de 5% do tempo do dia gasto em redes sociais.

Isso na verdade apenas evidencia que o nosso coração não está no lugar certo. Jesus disse “Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mateus 6.21). Se o nosso tesouro fosse realmente a presença de Deus como cantamos tantas vezes em nossos cultos será que isso não se refletiria em como usamos o nosso tempo e em que gastaríamos tanto da nossa vida?

Chegamos nos cultos, nas células e nas reuniões de oração e pedimos para os outros orarem por nossos problemas e dificuldades e quando chegamos em casa fazemos o quê? Gastamos o tempo olhando futilidades e inutilidades numa timeline sem fim. Quantas vezes você não pensou: “Vou dar só uma olhadinha no face” para em seguida descobrir que se passou quase uma hora.

Jesus perguntou aos discípulos “Então nem uma hora pudeste velar comigo?” (Mateus 26:40) e nós conseguimos jogar fora horas com distrações que levam embora até mesmo o lucro financeiro. Os discípulos, pelo menos, tiveram a desculpa do cansaço.

, imagine a transformação que acontecerá na sua vida quando investir seu tempo conversando com Aquele que tudo sabe (inclusive o seu futuro), pedindo o que você precisa para Aquele que tudo tem, confidenciando as suas dores para Aquele que tudo cura.

Não precisa muito, basta que focalizemos em usar corretamente o nosso tempo.

Vinicios Torres

Foco na Palavra que Transforma

Algum tempo atrás questionei o fato de que muitos de nós recebemos conteúdo cristão demais durante o nosso dia e acabamos não usando adequadamente o que recebemos. Ouvimos sermões, recebemos mensagens e textos bíblicos e, agora com Facebook e WhatsApp somos inundados com imagens com versículos e mensagens “inspiradoras”.

Nada errado com elas, se não fosse o fato de que são tantas que acabamos ignorando a maior parte delas e o seu impacto acaba se dissolvendo nas distrações do dia.

Recebi esta citação do pregador inglês Charles Spurgeon que me lembrou novamente desse fato:

“Por que alguns cristãos, apesar de ouvirem mil bons sermões, não têm avanço na vida espiritual? Porque eles negligenciam sua obrigação, seu quarto fechado, a solidão com Deus… eles não meditam no que ouviram. Eles “amam” o trigo, mas não moê-lo. Eles teriam o milho, mas eles não irão ao campo colhê-lo. O fruto está pendurado, mas eles não vão estender a mão. A água está fluindo em seus pés, mas eles não vão se inclinar para beber… Irão reclamar porque outros não fazem isso para eles… De tal loucura livrai-nos, ó Deus!”

– Charles Spurgeon

O que você tem feito com a Palavra de Deus que você recebe?

Está se apropriando dela, meditando, orando sobre ela e permitindo que ela faça efeito em sua vida? Ou ela está se perdendo no mar de informação que recebe todos os dias?

Sempre me provocou admiração os testemunhos dos cristãos perseguidos e presos nos países comunistas e islâmicos que, privados de possuírem um Bíblia de papel, se alimentavam espiritualmente dos textos memorizados. Eram poucos, em comparação com a Bíblia toda, mas os que lembravam faziam a diferença entre a vida e a morte espiritual.

Mantenha uma passagem bíblica em foco no dia, lembrando dela, memorizando, pedindo orientação de Deus em oração de como aquela passagem pode se aplicar na sua vida. Ignore o excesso de informação, mesmo aquela considerada cristã, e faça sua mente se concentar.

Isso dará mais frutos em sua vida do que ouvir sermões na internet o dia todo.

Vinicios Torres

19 anos – Até aqui o Senhor nos ajudou

Hoje, 1 de junho, fez 19 anos que começamos este site e no ano seguinte iniciamos o envio das mensagens devocionais por e-mail que acabou por se tornar o nosso ministério de fato.

Várias vezes pensamos em parar imaginando que a abundância de material que atualmente existe na internet, na televisão e a grande quantidade de livros suprem aquilo que inicialmente a gente sentia falta.

Porém, mais do que enviar conteúdo, percebemos que muitas pessoas acabaram se tornando nossas “amigas” neste processo. Muitas realmente se tornaram amigas reais com quem tivemos oportunidade de conviver e gastar muito tempo juntos. A maioria, amigas de e-mails, comentários. Verdadeiras, ainda que não físicas.

Muitas pessoas estiveram conosco por anos e não renovaram cadastro e perdemos contato. Outros permanecem conosco desde o início. Posso chamar isso de uma longa caminhada. Muitos de vocês acompanharam as mudanças de vida que acabamos expondo durante este tempo. Tantas vezes que pedimos suas orações e intercessão.

Em tempos de relacionamentos e comunidades virtuais, ICHTUS é uma grande comunidade unidade no propósito original do site: “Edificar o povo de Deus na Palavra de Deus na Internet”.

Esse é o desejo do meu coração: servir o corpo de Cristo ajudando a edificar uma vida de comunhão com Deus por meio da meditação constante na Palavra de Deus.

Apesar de ter passado tantos anos e “conteúdo” não faltar, entendo que existe um lugar para nós continuarmos com nosso trabalho, compartilhando aquilo que Deus tem depositado em nós. Pois se algo nos ajudou, pode ajudar outras pessoas. Se aprendemos algo de Deus, podemos transmitir para você e você para outros.

Quero agradecer a você, < !–data.assinante.firstName–>, que é assinante do nosso serviço, ou como se diz hoje um seguidor nosso, e te convidar a continuar firme no propósito de conhecer mais o nosso Deus e nosso Senhor Jesus Cristo.

O Senhor nos tem ajudado nestes 19 anos. Com certeza Ele continuará a fazê-lo!