Vinicios Torres

Sobrevivência

“…Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba.” (João 7:37)

Você já ficou com sede a ponto de passar mal? Eu já, e sem perceber. Quando nos mudamos e fomos morar no Distrito Federal, muitas pessoas nos advertiam a aprender o hábito de andar com garrafinhas de água para que estivéssemos sempre nos hidratando, pois o clima extremamente seco no inverno provoca desidratação.

Certo dia comecei a passar mal, sentindo tonturas e enjoos, parecia com aquilo que as pessoas que sofrem de labirintite me contavam que sentiam. Com dificuldade fui para casa, apreensivo da possibilidade daquele mal estar piorar enquanto estava no trânsito.

Quando cheguei em casa e contei pra minha esposa como estava, ela imediatamente perguntou: “Tomou água hoje?“. E eu percebi que por causa da correria do trabalho havia me esquecido disso. Bastou um copo dágua fresca para o mal estar ir embora.

A maioria de nós está “desidratada” e “desnutrida” espiritualmente e, por consequência, nossas vidas emocionais e físicas estão sofrendo os efeitos dessa situação. O problema é que deixamos a correria da vida esconder de nós o verdadeiro motivo disso. Sofremos achando que o problema é um, quando o motivo do mal estar é outro.

Sentimos sede de Cristo e da Sua presença, sentimos fome do Pão do Céu, e achamos que é o estresse do trabalho, a pressão da escola ou as dificuldades de um relacionamento. Deixamos que os “sintomas” nos enganem se fazendo passar pelos motivos. A verdade é que por faltar a comunhão com Deus em oração e Sua orientação através da Sua Palavra, nos deixamos levar pelas preocupações da vida.

Nesse momento, nos sentimos cobrados a orar mais e a ler a Bíblia, como se fossem mais tarefas a serem acrescentadas a já longa lista de coisas a fazer. E agora como isso vai trazer alívio, nem tempo tenho para fazê-los?

Mas essa frase do escritor Philip Yancey, esclarece esse ponto:

“Levei anos para perceber que a oração é um privilégio, e não um dever; para ver a leitura da Bíblia como uma fonte de vida, e não uma obrigação.” (Philip Yancey)

Conversar com Deus em oração não é a obrigação de gastar tempo com alguém qualquer. É o privilégio de estar com Aquele que nos ama a ponto de entregar Seu filho para morrer em nosso lugar e que tem todo o poder de transformar todas as coisas. Ler a Bíblia não é gastar tempo lendo um romance qualquer, mas alimentar-se dAquele que se entregou na cruz por nós, porque João 1:1-3 diz que Jesus é o Verbo (a Palavra).

Comemos e bebemos fisicamente para sobrevivermos fisicamente. E a nossa vida espiritual, como estamos levando?

“Senhor, reconheço o privilégio que tenho de poder beber da água da vida de Cristo, através da oração e da leitura da tua Palavra. Alegro-me pela vida que recebo de Ti.”

Vinicios Torres

Pecados Privados

“… e sabei que o vosso pecado vos há de achar.” (Números 32:23 ACF)

Dr. Jim Denison comenta hoje a respeito de um líder muito famoso que está enfrentando acusações de “conduta sexual imprópria” com várias pessoas durante o seu ministério. Uma obra construída durante mais de trinta anos, e que abençoou milhares e milhares de pessoas ao redor do mundo, está sendo abalada por aquilo que o jornal Times chamou de “pecados privados”.

Muitas vezes acreditamos que podemos manter pecados escondidos na privacidade. Mas isso é apenas uma ilusão que o Diabo gosta de fazer a gente pensar. Ele reforça essa ideia nas nossas mentes sabendo que se nos sentirmos protegidos pela ideia de que esses pecados privados nunca serão revelados poderemos continuar usufruindo deles sem consequências.

Esquecemos que a Palavra de Deus assevera que todas as coisas escondidas serão reveladas (Mateus 10:26). Se não agora, certamente no último dia diante do trono de Deus.

O Dr. Denison termina seu artigo com algumas considerações relevantes:

“Satanás quer que acreditemos que ninguém saberá ou será ferido. Sabemos que podemos confessar nossos pecados e sermos perdoados por eles (1 João 1:9), por isso achamos que podemos abrigar uma área de pecado particular que nunca será tornada pública.

Há pelo menos três enganos aqui.

Um: O pecado particular raramente permanece privado. O pecado de Davi com Bate-Seba logo se tornou parte de seu legado público. Computadores podem ser hackeados; os cookies da internet podem rastrear o tráfego da web; outros podem descobrir o que pensamos ser secreto.

Dois: Deus pode perdoar nosso pecado, mas ele não pode nos recompensar por isso. Cada momento que passamos em desobediência é um momento que não podemos voltar. E uma oportunidade perdida de obediência que nosso Pai teria recompensado eternamente (cf. 1 Coríntios 3:14).

Três: O pecado particular dificulta a obra de Deus através de nós. O pecado aflige o Espírito (Efésios 4:30) e “apaga” seu trabalho em nossas vidas e ministérios (1 Tessalonicenses 5:19). O Espírito Santo não pode usar totalmente um vaso profano. Se estamos abrigando o pecado privado, mas pensamos que Deus está nos usando de qualquer maneira, imagine o que ele poderia fazer dentro e através de nós se fôssemos completamente dele.

Uma chave poderosa para derrotar a tentação

Vamos encerrar com um elemento crucial para derrotar a tentação privada. Vários anos atrás, participei de um seminário de líderes eclesiáticos sobre os perigos da pornografia. Um dos meus colegas fez uma observação que não esqueci: devemos amar a Jesus mais do que amar o pecado.

Uma coisa é amar a Jesus, mas outra é estar apaixonado por ele. Então, peça ao Espírito para ajudá-lo a estar mais apaixonado por seu Salvador hoje.

E lembre-se de tudo o que Jesus fez por você. Charles Spurgeon disse: “Se conhecemos poucas das excelências de Jesus, o que Ele fez por nós e o que Ele está fazendo agora, não podemos amá-lo muito; porém, quanto mais o conhecermos, mais o amaremos.”

Jesus diria que você está apaixonado por ele hoje?

Vinicios Torres

Adversidades

“No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo” (João 16:33)

“Creio que aquilo que diferencia times ou indivíduos bons de times ou indivíduos excelentes é a maneira de lidar com a adversidade. Você se deixa abalar por ela ou a usa para se fortalecer?

A adversidade pode nos ensinar mais sobre nós mesmos do que qualquer sucesso, e às vezes superar um obstáculo é mais gratificante do que alcançar uma vitória fácil. Além disso, podemos descobrir até onde vão nossa resistência, nossa força de vontade e nossa capacidade de transformar algo negativo em positivo”.

  • Mike Krzyzewski (Liderar com o Coração, p.22, Ed. Sextante)

Dificuldades e problemas todos nós enfrentaremos na vida. Eles são inerentes ao processo de viver. Eles começaram lá no Gênesis quando Deus disse a Adão que a Terra lhe resistiria e ele teria que conseguir o que precisava com o suor do seu trabalho. Qualquer coisa que você deseje, planeje e aja para realizar enfrentará essas resistências.

As adversidades são aqueles eventos extras que acontecem na nossa vida que parecem determinados a nos tirar da rota e nos fazer ser e fazer qualquer coisa menos aquilo que planejamos ou sonhamos.

Os efeitos de uma adversidade podem ser curtos e em poucos dias ou semanas você pode estar de volta à rota. Ou podem ser tão profundos e duradouros que literalmente mudam a sua vida.

Fico imaginando o que passava pela cabeça de José, o filho de Jacó. Vendido pelos irmãos como escravo logo depois de receber sonhos de Deus de um belo futuro de domínio e autoridade. Uma adversidade e tanto! Ele pode ter imaginado muitas maneiras pela qual Deus o levaria a cumprir os sonhos que recebera.

Mas a adversidade que enfrentou não tirou dele a visão. Se ele teve o sonho de que seria autoridade, para isso se prepararia: tornou-se o melhor e mais próspero servo e conquistou a posição de autoridade ali mesmo onde estava.

Quando achou que tudo estava indo bem, nova adversidade! Mas a prisão, limitante fisicamente, não limitava sua convicção de que havia sido destinado a governar. Ganha a confiança do carcereiro e torna-se o cuidador de seu próprio cárcere.

Ele estava preso por fora, mas era livre por dentro! As adversidades não tiraram as convicções que Deus havia colocado dentro dele. Em vez disso, fazia o que podia para tornar a visão uma realidade onde ele estava.

Quais são as convições que Deus colocou dentro de você que parecem que foram roubadas pelas adversidades? O que você acha que perdeu porque elas alteraram os caminhos da vida que você achava que devia seguir?

Assim como José, você pode, no final, experimentar plenamente o cumprimento da promessa de Deus. Mesmo que as adversidades pareçam virar a sua vida de cabeça pra baixo.

“Senhor, me ajuda a permanecer firme trazendo à realidade os teus sonhos para mim, mesmo dentro da adversidade.“

Vinicios Torres

Primeiro o Mais Importante

“Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça” (Mateus 6:33)

,

Muitos compromissos, prazos para cumprir, diversas tarefas. Você está estressado com a quantidade de coisas que tem de fazer. Está correndo num dia em que sabe que não dará conta de tudo, já sabe que terminará o dia devendo para algumas pessoas. Está equilibrando os pratos tentando não deixar nenhum deles cair.

Então, descobre que a geladeira estragou. Você tem que parar tudo que está fazendo, tirar dela tudo o que estraga, colocar em uma cesta e ir ao vizinho pedir ajuda para guardar na geladeira dele enquanto você procura por um técnico que possa vir o mais rápido possível. Enaquanto isso, seu cérebro vai calculando as horas que deverá entrar a noite trabalhando para compensar o tempo perdido.

E assim os dias vão se repetindo, nesta rotina atropelada. Um dia mais atarefado que o anterior, por causa das pendências que vão se acumulando. O estresse aumentando e o sentimento de incapacidade começa a fazer efeito.

Por mais que você siga métodos de organização de tempo, priorização de tarefas e coisas assim, chegará um dia em que os imprevistos provocarão o descontrole da agenda. Ninguém está imune a isso.

O problema é que essa correria muitas vezes nos faz inverter prioridades. A pressão pelos prazos e resultados nos faz gastar todo o tempo da nossa vida na correria e deixamos de dar o tempo necessário para aquilo que é mais importante.

Deixamos de gastar meia hora de oração e meditação na Palavra de Deus porque o nosso cérebro nos induz a pensar que esta meia hora poderia ser usada para resolver o problema X ou fazer a tarefa Y e, com isso, diminuirmos a dívida emocional em relação ao que está atrasado.

O problema é que essa abordagem nos induz a outra dívida emocional: aquela em que sabemos que estamos invertendo a prioridade da vida. O mais importante do mais importante está sendo deixado de lado. Ficamos com aquela sensação ruim de que estamos negligenciando o relacionamento do qual, logo depois, vamos querer usufruir os resultados sem ter dado o tempo necessário para ele.

Quantas vezes você chegou para Deus e a primeira coisa que fez foi pedir perdão por não estar orando o tanto que devia? Não que a quantidade de tempo determine o bom relacionamento, mas a baixa quantidade demonstra a falta de interesse ou de importância.

Conta-se que Martinho Lutero, o reformador alemão, gastava duas horas em oração todos os dias. Algumas vezes quando terminava esse período ele avaliava o que tinha de fazer no dia e dizia algo como: “Hoje tem muitas coisas para fazer e pessoas para encontrar, vou orar mais duas horas para dar conta de tudo.”

Ele compreendia que gastar tempo com o Pai Celestial lhe traria mais benefícios e mais produtividade do que se simplesmente se jogasse na luta com as atividades diárias.

, mesmo na correria que está o seu dia hoje, ouse parar e ir para a presença do Pai, não importa a hora, para demonstrar para Ele que você o considera acima de todas as coisas.

Foi assim que parei tudo e, meditando sobre isso lhe escrevi, enquanto espero o técnico vir consertar a geladeira.

Vinicios Torres

Você Já Fez algo Durante 20 anos?

Hoje, 1 de junho de 2018, faz 20 anos que publiquei os primeiros artigos no site e enviei uma mensagem de e-mail para quase 50 pessoas conhecidas convidando-as para conhecerem o site e darem as suas opiniões a respeito da iniciativa.

Junto com o lançamento do site criei esta lista, que inicialmente foi o meio de transmitir as novidades do site e posteriormente se transformou na lista de devocionais do nosso site.

Durante esse tempo nós fomos muito abençoados pelo trabalho que fazemos aqui. Digo que somos os primeiros a receber os impactos daquilo que enviamos. Isso porque eu e o Mário temos um princípio: não falamos daquilo que não vivemos e experimentamos. Por isso, tudo foi escrito porque experimentamos e quisemos compartilhar, sabendo que se para nós fez alguma diferença, ou recebemos alguma revelação de Deus, então alguém também poderia receber a mesma bênção.

Sempre recebemos e-mails de vocês, comentando nossos artigos e contando que determinada palavra foi especial em algum momento. Para marcar esse momento, afinal 20 anos não é pouco tempo, gostaria que você agradecesse a Deus conosco pela oportunidade que tivemos de servir tantas pessoas.

Você não gostaria de ajudar a celebrar esse momento?

Se você foi abençoado de maneira muito específica pelo nosso trabalho em algum momento, poderia enviar um breve testemunho contando como foi?

Não é uma questão de vaidade, apenas de reconhecer os frutos da semeadura realizada e podermos glorificar juntos ao nosso Salvador Jesus Cristo, o motivo de todo o nosso esforço e da nossa vida.

Vinicios Torres e Mário Fernandez

Vinicios Torres

Estar em Cristo – Chave Para Compreender o Coração de Deus

“Se continuarem unidos a mim e não esquecerem as minhas palavras, hão de receber tudo quanto pedirem.” (João 15:7)

As promessas de Deus são condicionais. Muitas pessoas vivem cobrando que Deus as abençoe e faça por elas o bem que desejam sem perceberem que para cada coisa que Deus promete, tem uma condição que devemos cumprir.

Craig Denison escreveu: “O modelo de Jesus para oração e permaneceer em sua presença, permanecer nas suas palavras, e pedir a Deus os desejos do nosso coração. Deus deseja que estejamos sintonizados com as batidas do coração dele e tão saturados da Sua Palavra, a ponto dos nossos desejos se transformarem nos desejos dele. O seu plano é nos encher com o conhecimento da sua perfeita vontade para as nossas vidas, lá no lugar secreto, de tal maneira que possamos orar e viver integralmente cheios da expectativa de que o nosso pai celestial nos levará a experimentar os desejos que ele colocará em nós”.

“Estar unido”, “permanecer”, “estar em”, são sinônimos de “continuar unido” na passagem acima. Pode também ser compreendido como “residir, morar, viver”.

Tiago 4:8 diz “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós.”

Deus deseja que nos cheguemos a Ele tão intimamente e tão amorosamente que percamos a capacidade de diferenciar quais são os nossos desejos e os dele. Estaremos tão apaixonados por ele que nos realizaremos em fazer a sua vontade. Neste momento, como disse Jesus, tudo o que pedirmos, receberemos, pois estaremos pedindo o que Ele mesmo quer.

“Senhor, até para me achegar a Ti eu preciso da ajuda do poder do teu Espírito Santo. Ajuda-me, pois eu quero ser um contigo.“

Vinicios Torres

Pedido de Desculpas

Por causa de um problema técnico, nossos últimos envios sofreram alguns problemas como envios duplicados e mensagens sem formatação correta.

Peço desculpas a você que acabou recebendo muitas mensagens nossas sem necessidade. Já resolvemos a causa do problema e os envios voltarão a normalmente.

A última mensagem será reenviada com a formatação e autoria correta.

Agradeço a sua compreensão e paciência e contamos com suas orações por nós.

Vinicios Torres

O Propósito de Deus Exige o Poder de Deus

“para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” (Romanos 8:29)

O objetivo de Deus para nós é que nos tornemos à imagem do seu filho Jesus. Não a imagem física, claro, mas que o nosso caráter e nossas ações reflitam a glória do Pai para todos os que possam ser alcançados pela nossa presença.

David Livingstone foi um médico inglês que decidiu ser missionário na África no século 19. Época de poucos recursos científicos e de comunicação, ele pegou um barco e ao chegar à África embrenhou-se em seu interior e passou anos sem se comunicar com a família. Anos depois, uma expedição explorou o interior da África e fez contato com aldeias e tribos, até então, desconhecidas dos Europeus. Junto com essa expedição foi outro missionário que, ao chegar em determinada aldeia, anunciou o evangelho contando a história de Jesus, de como ele era amoroso, curava os enfermos e libertava as pessoas.

Um dos chefes da aldeia, ao ouvir a história disse: “Esse Jesus já passou por aqui alguns anos atrás”. Sem entender do que o nativo estava falando, pediram mais detalhes e ele contou de um homem branco que havia passado por lá, cuidando dos doentes e ensinando sobre amor de Deus. Pela descrição feita pelo nativo, a expedição concluiu que se tratava de Livingstone.

Não precisamos ir até as selvas da África, ou mesmo da Amazônia que é mais perto de nós, para demonstrarmos a imagem de Jesus. Podemos, e devemos, fazê-lo no nosso dia a dia. Começando pela nossa casa, nossa família, nosso trabalho, nossa escola.

Porém, devemos reconhecer que a nossa natureza caída é uma grande barreira para que esta imagem de Cristo seja refletida em nós. Por nosso próprios esforços, chegaremos, no máximo, a uma caricatura grotesca do nosso Salvador.

Deus, no seu amor providencial, nos Deus o seu Espírito Santo. Jesus disse aos seus discípulos: “esperai em Jerusalém até que do alto sejais revestidos de PODER” (Lucas 24:49). Após serem cheios do Espírito Santo, até as autoridades reconheciam Jesus na vida dos discípulos (Atos 4:13).

Para cumprirmos o propósito de Deus, de sermos a imagem de Seu Filho, precisamos do poder Deus. Esse poder está disponível a nós, porque o Seu Espírito vem habitar em nós quando nos entregamos a Cristo.

Não merecemos, mas pela graça, mediante a fé, podemos tomar posse desse poder e vivermos refletindo o amor do nosso Senhor e Salvador para aqueles que estão ao nosso alcance.

“Senhor Jesus, que você cresça em mim e que eu diminua. Faz a tua glória aparecer em mim.“