Mário Fernandez

Cruz – Chave da Herança

“E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;” (Filipenses 2:8,9)

Interessante como nossa geração tem chaves. Um dia destes vi uma pessoa chegando no hotel onde costumo ficar e tirou 4 ou cinco molhos de chaves, cada um com sete ou oito chaves. O comentário foi algo mais ou menos assim “mede-se a preocupação de uma pessoa pela quantidade de chaves que carrega”. Faz sentido. Mais do que depressa fui contabilizar minhas chaves: 3 chaves de casa, duas de cada escritório, uma do flat, um cartão de acesso, uma de carro… Meu Deus, quanta chave! Jesus só tinha uma: a cruz.

Na verdade Jesus não tinha stress, pois Ele é Deus e não pode ser estressado, mas ele tinha uma chave sim. A “chave” de sua herança era seu foco de atenção e cuidado tal como nossas chaves metálicas de hoje. A cruz foi o ponto chave para que Jesus pudesse mudar sua condição de homem mortal para retornar à Sua condição original de divindade, glorificado e totalmente espiritual, imortal, inatingível. E mais, o texto de Filipenses é muito claro que por causa da morte na cruz, Deus Pai o colocou sobre todos os demais “nomes” – significado claro de identidade.

Vejo nossa geração do início do século XXI de modo meio pessimista, na minha opinião nossa evolução social, humanitária, e até mesmo espiritual, tudo isso está mais para uma regressão do que para um progresso, ao contrário de diversas tecnologias que avançam a passos largos. Somos conquistadores e desbravadores, grandes inventores – mas parecemos regredir como seres humanos em si. Qual é a “chave”? Creio que seja nitidamente a falta de percepção de cruz, do sacrifício de Jesus, da expectativa de Sua volta, da vinda inevitável do Reino de Deus.

Temos uma chave para cada porta, menos para a porta do nosso coração. Eis que estou a porta do vosso coração e bato (porque não tenho a chave). Parece que nós a perdemos.

Quando entendemos, absorvemos e visualizamos a cruz como chave para Jesus ser glorificado e restituído à sua posição original junto ao Pai, o que mais acontece é que entendemos que Ele tinha uma herança à sua espera. Você já leu Romandos 8:17? Somos herdeiros juntamente com Ele. Se para Sua herança a chave era a cruz, qual será a nossa chave?

O mais importante para mim sempre é o recado central, ainda que, por vezes, os detalhes menores nos ensinem muito. Neste texto em particular, o centro da mensagem é a humildade de Jesus se submetendo ao plano do Pai, e onde isso foi dar. Humanamente falando? Deu em morte, ou seja, se deu mal. Espiritualmente falando? Aleluia, Ele ressuscitou e foi glorificado retornando à sua condição original de divindade.

Sejamos humildes e entendamos que a chave para nós é Jesus e para Ele foi a cruz. Teoricamente a mesma chave sempre abre a mesma porta. A nossa herança nos espera.

“Senhor, obrigado por me mostrar que posso confiar em Ti e no cumprimento de Tuas promessas. Me ajuda e me ensina a caminhar com humildade para ser e fazer o que Te Glorifica.”

Mário Fernandez

5 thoughts on “Cruz – Chave da Herança

  1. Airton disse:

    Pastor Mário:

    A ordem dos fatos descrita no verso acima, mostra que primeiro houve humilhação, submissão. Sofrimento, solidão. Em seguida, exaltação, glorificação. É bom observar a mesma ordem no cotidiano.

  2. Marineuza dos Santos disse:

    Achei esta mensagem muito esclarecedora, quando vamos a Jesus a PORTA já esta aberta, porque Ele abriu com a chave que já havia preparado antes mesmo de descer do céu e habitar entre nós,a Cruz, e após abrir a porta Ele mesmo se transformou nesta porta e a deixou aberta quando voltou para o seu lugar ao lado direito do Pai,e todos quando o procurarem encontraram a porta aberta,isto é tremendo
    EU SOU A PORTA. SE ALGUÉM ENTRAR POR MIM, SERÁ SALVO; ENTRARÁ, E SAIRÁ, E ACHARÁ PASTAGEM (JOÃO 10:9)
    JESUS obrigado por ternos achado inocente ainda sendo nós pecadores e não desistido de cada um, mas antes preferiu vir a nós para nos ensinar o caminho de volta ao nosso pai, assim como fizeste na terra como filho. Amém

  3. Uma feliz comparação: Jesus, a cruz, e a chave para fechar nossa compreensão sobre o acesso que tivemos de forma eminente com a abertura de nossa liberdade para a salvação de nossas vidas com a vitória de Jesus sobre a morte na cruz do Calvário. Não é preciso se esforçar para reconhecer o que isso significa para o homem. Basta refletir no que a Palavra de Deus deixou clara, antes e depois do supremo sacrifício de Jesus, morrendo e ressuscitando três dias após sua morte, e trazendo vida em abundância conforme sua fiel promessa.
    Hoje podemos nos sentir verdadeiramente aliviados, pois, diante de sua promessa cumprida e, estando ELE à direita do Pai, nos coloca a SUA direita, nos dando a liberdade de pedir através DELE tudo que precisarmos. Deus seja louvado!!!

  4. Eliene Souza Reis disse:

    Bom dia! Excelente mensagem que nos leva a refletir sobre a necessidade de abrirmos nosso coração para Jesus ocupar o lugar que lhe é devido.

  5. Jorge Audi disse:

    Amado Irmão, estou em falta com Deus e contigo, por isso abri mais uma vez uma mensagem e por obra de Deus mencionei essa porta para um amigo, porta essa que Cristo não invade apesar de grande desejo de entrar(para nosso bem), falei também que o Diabo força de muitas formas entrar.
    Realmente parece termos esquecido essa chave e diria, por observar aquele desenho de Cristo batendo na porta, não vemos o lugar da fechadura por na verdade essa porta está trancada por uma tranca de travessa. Quero muito me livrar das chaves das preocupações e obedecer a Ele que nos pediu tantas vezes para carregarmos, cada um sua cruz e o seguir sabendo que a que Ele carregou é a verdadeira chave que nos leva a Ele mesmo que é Deus.
    Não esqueçamos das chaves eletrônicas que chamamos de senha: letra, números e hoje digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *